No passado dia três de Fevereiro, o Grupo Disciplinar de Francês do Agrupamento, levou a cabo uma iniciativa de cariz cultural que pretendeu dar a conhecer a França, as suas tradições, a sua cultura e a sua história, intitulada “La Chandeleur”.
Este dia acontece passados 40 dias depois do Natal. O nome “La Chandeleur” é derivado do latim (candelária – candeia) e a sua origem remonta à Antiguidade Romana em que se fazia uma festa em honra do deus Pan, deus dos bosques, dos campos, dos rebanhos e dos pastores. Durante essa festa, à noite, os fiéis andavam nas ruas com tochas. A partir do século XIV, esta festa passa a ser associada a Nossa Senhora das Candeias. Hoje em dia a tradição é fazerem-se crepes que, pela sua forma redonda e pela sua cor dourada, fazem lembrar o sol e são como que um apelo ao regresso da Primavera, após o Inverno. Há um ritual interessante associado à confeção dos crepes: fazer saltar os crepes, com a mão direita, e ter, na mão esquerda, uma moeda, para trazer prosperidade e abundância durante todo o ano. Há também a superstição de que o primeiro crepe confecionado não deve ser comido, mas antes guardado para dar sorte e para que as colheitas sejam abundantes.
Durante todo o dia os professores de Francês confecionaram uma grande quantidade de crepes que, a um preço simbólico, foram vendidos aos elementos da comunidade educativa que se associou a esta iniciativa. A receita apurada destina-se à aquisição de material para a disciplina.

Os docentes de Francês